intolerancia politica

Qual de nós não se esbarrou com trocas de ofensas de todos os graus nas redes sociais pelo mesmo motivo: defesa irracional e insana da razão própria. Abrir mão desta valorosa razão é escolher inteligentemente a paz, mas defender suas certezas é abrir mão da quase extinta paz.

Quantas amizades saudáveis são jogadas no lixo por uma causa que deveria ter efeito contrário. Muitos estão se entregando a defesa de suas razões ao ponto de odiar quem não pensa de igual forma, tive a desonra de ler vários comentários que dizia a mesma tolice: “quem não é por mim é contra mim, quem não é ’23’ na urna, considero como inimigo número 1″.

Ameaças, pressões e toda a falta de compreensão e respeito estão publicamente nas time lines. O título deste post expressa multidão dividida, mas a divisão não se faz por diversidade de opiniões, o que a divide é a intolerância e o que a enfraquece é a perda e capacidade na construção de valores e personalidades.

E falando em linha do tempo, sabemos que as lembranças das nossas atividades aparecem sem pedir licença no mural das redes sociais, reflita em quantas pessoas estarão diante de recordações tão ruins, brigando por coisas tão medíocres. A união deve existir na coluna de baixo para desestruturar a guerra, a desonestidade, a injustiça e a lambança que vem de cima,

Portanto não há porque nem para que brigar. Se na verdade todos nós somos vítimas de uma democracia que vive de costa para a sociedade e sentimos no bolso o peso de uma política que insiste explorar-nos. Afinal ficaríamos orgulhos em dizer que somos ricos suficiente por ter condições de comprar a gasolina mais cara do mundo? Em possuir o serviço de internet mais cara do mundo? Em pagar os juros mais caros do mundo? humm? Se há algo além disso para acrescentar, comente!

Alexandre Torres.
intolerancia politica